Artigos

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, e a Vice-Presidente, Idalina Perestrelo, estiveram ontem no Edifício dos Viveiros, sede do Departamento Municipal de Ambiente, para acompanhar o início da entrega de máscaras reutilizáveis a todos os colaboradores da Autarquia que estão ao serviço, começando pelas equipas de recolha de resíduos.

Miguel Silva Gouveia explicou, na ocasião, que “no total, investimos 100 mil euros na proteção e segurança daqueles que estão na linha da frente do combate à COVID-19 no Funchal, quer estejam em funções operacionais na rua, como é o caso dos colaboradores do Departamento de Ambiente e das Águas do Funchal, quer mantenham as suas tarefas administrativas na Autarquia. Todos os trabalhadores terão direito a duas máscaras e as aquisições incluíram, ainda, viseiras, óculos, luvas, fatos, desinfetantes e termómetros de infravermelhos, entre outros materiais essenciais que serão usados com prontidão.”

O Presidente considerou “fundamental que todos os colaboradores se sintam seguros a fazer o seu trabalho” e referiu que a Autarquia está, igualmente, a procurar soluções que permitam fazer testes à COVID-19 aos trabalhadores que desempenham funções essenciais, um pedido que já foi feito ao Secretário Regional da Saúde e Proteção Civil, e relativamente ao qual a Autarquia avalia também possibilidades de aquisição externa.

“A Câmara Municipal do Funchal preza profundamente o contributo destes grandes profissionais, e de todos aqueles que não podem ficar em casa e respondem presente quando a cidade mais precisa, e foi esse reconhecimento que tive oportunidade de lhes transmitir”, concluiu o Presidente.

A Presidência da Câmara Municipal do Funchal decidiu hoje que todos os funcionários e colaboradores cuja presença física nos serviços não seja estritamente necessária, estão autorizados a permanecer nas suas residências a partir de amanhã, dia 17 de março, desde que isso não coloque em causa o contínuo funcionamento dos respetivos serviços, em articulação com os respetivos superiores hierárquicos.

Todos os colaboradores que permaneçam nas suas residências devem, na medida do possível, continuar a desenvolver as suas tarefas diárias, utilizando, para o efeito, as ferramentas existentes para trabalho à distância. Devem, igualmente, manter-se em regime de disponibilidade e contactáveis durante o horário de serviço. Estão, igualmente, abrangidos por estas determinações todos os colaboradores que desempenhem funções através dos programas municipais e do Instituto de Emprego da Madeira.

A Presidência da Câmara Municipal do Funchal sublinha que esta é uma medida de caráter excecional, com o objetivo imediato de conter a epidemia causada pelo COVID-19, e que irá vigorar até ao próximo dia 31 de março, no sentido de salvaguardar a saúde pública e a segurança dos funcionários camarários, mas garantindo o funcionamento da cidade, naquelas que são as suas atividades essenciais.