Artigos

O Presidente Miguel Silva Gouveia lançou, na semana passada, a iniciativa “Falar Funchal”, assumindo o objetivo de ultrapassar o distanciamento social provocado pela atual crise de saúde pública e manter a proximidade com os munícipes do concelho. Todas as sextas-feiras, o autarca estará, assim, em direto no facebook da CMF, entre as 12h e as 13h, para conversar com convidados reconhecidos pela sua carreira e mérito, em conversas que serão abertas ao público, permitindo que sejam colocadas questões a todos os presentes. Isso volta a acontecer esta sexta-feira, dia 24 de abril, tendo como tema a Revolução dos Cravos.

“Depois de, na semana passada, termos estreado esta rubrica com a nossa Conselheira Municipal para a Igualdade, Guida Vieira, e sido assistidos por cerca de 6 mil pessoas, esta semana, conforme já tinha sido anunciado, o tema será o 25 de Abril, e contarei desta vez com dois convidados, de duas gerações e áreas distintas, a quem agradeço por terem aceite o meu convite. São eles Vicente Jorge Silva, histórico jornalista madeirense e cofundador do Público, e João Marecos, cocriador da popular página de facebook «Os truques da imprensa portuguesa». Nesta oportunidade, abordaremos a liberdade de imprensa e a importância do jornalismo para a Democracia, seguindo o percurso que o país e a Região fizeram nestes últimos 46 anos.”

“Numa época de contornos exigentes e imprevisíveis para a comunidade, e onde as próprias comemorações do 25 de Abril se têm revestido de alguma polémica, queremos ajudar a responder aos anseios das pessoas, estabelecendo paralelismos entre dificuldades do passado e refletindo sobre a forma como uma comunicação clara, completa e transparente, seja por parte do poder político, seja por parte dos órgãos de comunicação social, pode fazer toda a diferença para ultrapassarmos as dificuldades que estamos a viver e os desafios futuros. Queremos, igualmente, manter a proximidade com os munícipes e que estas conversas sejam uma forma de olhar em frente e falar do Funchal e do futuro com confiança naquilo que podemos fazer pelo bem-estar comum.”

Vicente Jorge Silva é uma referência do jornalismo português. Em 1966, depois de um período passado no estrangeiro, assumiu a direção do jornal Comércio do Funchal, que desempenhou um importante papel na renovação da imprensa regional portuguesa, sendo conotado com a oposição ao regime salazarista. Em 1974, ingressou no semanário Expresso, fundado dois anos antes, onde exerceu as funções de chefe de redação e de diretor-adjunto. Em 1990, foi cofundador e primeiro diretor do jornal Público. Já foi, igualmente, colaborador do Diário Económico, Diário de Notícias, semanário Sol e SIC Notícias, ao que soma um percurso como realizador de cinema, uma das suas grandes paixões.

João Marecos licenciou-se em Direito na Universidade de Lisboa e é advogado na área da tecnologia. Foi Presidente da Associação Académica da Universidade de Lisboa (AAUL) e é um dos autores da página “Os Truques da Imprensa Portuguesa” que, desde há três anos e com cerca de 200 mil seguidores, se dedica a analisar e denunciar más práticas no jornalismo em Portugal. No ano passado, enveredou pela literatura e obteve uma menção honrosa no prémio Branquinho da Fonseca, com a sua primeira obra, Carta ao Cavaleiro de Nada.

A Câmara Municipal do Funchal assinala o 46º aniversário da Revolução dos Cravos com uma semana de atividades dedicadas a esta data decisiva da História do país.

O Presidente Miguel Silva Gouveia enaltece que “foi na rua que se fez a Revolução, mas este ano será a partir de casa que se irá comemorar o 25 de Abril, porque, sejam quais forem as circunstâncias, fazê-lo é verdadeiramente essencial para manter viva a chama da Liberdade e da Democracia. No Funchal é isso que temos feito empenhadamente desde 2013, com uma forte programação própria, que este ano adaptaremos à realidade que todos conhecem, mas levando na mesma música, histórias e sentimento a todos os funchalenses, nas suas casas.”

A primeira atividade decorre já amanhã, terça-feira, dia 21 de abril, e prolonga-se nos dias 22 e 23 de abril, sempre às 21 horas, no facebook oficial da Câmara Municipal do Funchal. Trata-se do lançamento de uma websérie infantojuvenil de 3 episódios, denominada “Liberdade em Tempo de Quarentena”. Esta é uma atividade promovida pela Câmara Municipal do Funchal, em colaboração com a Associação Casa Invisível, contando com a mediadora cultural Catarina Claro, a atriz Sara Cíntia e a artista plástica Cristiana de Sousa, e que reúne 20 testemunhos recolhidos sobre ditadura, Revolução e Liberdade, entre outros.

No dia 23 de abril, pelas 15 horas, será disponibilizado, na página de facebook do Museu Henrique e Francisco Franco, o concerto encenado “emoSons d’Abril”, uma criação de Filipa Carvalho e Ricardo Brito, em coprodução com a Associação Avesso. Este concerto pretende ser uma viagem pelo Portugal da fase final da ditadura, ao som dos temas da Revolução que se ouviam em cada esquina e de boca em boca. O espetáculo destina-se especialmente ao público familiar, acima dos 6 anos de idade.

O ponto alto das comemorações decorre no dia 24 de abril, sexta-feira. Logo pelas 12h, o Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, estará em direto no facebook oficial da CMF, para a 2ª edição das conversas “Falar Funchal”, desta feita sobre a Revolução. Às 21h, terá lugar, por sua vez, o concerto comemorativo do 25 de Abril no Funchal, também em direto no facebook da CMF, com o cantor madeirense Tiago Sena Silva. O concerto, que vai reunir músicas de intervenção, será transmitido a partir do jardim interior dos Paços do Concelho.

Pelas 22h, será exibido na página da CMF um documentário sobre o 25 de Abril no Funchal e, às 22h55 em ponto, a Autarquia convida todos os funchalenses a virem à janela, para assistirem a um momento simbólico de luz e cor nos céus do Funchal. A hora foi escolhida de propósito para recordar o momento, na véspera da Revolução, em que a música “E Depois do Adeus”, de Paulo de Carvalho, tocou na Rádio Renascença, servindo de senha ao início da Revolução.

As comemorações terminam no sábado, dia 25 de abril. Pelas 11h, o Presidente Miguel Silva Gouveia fará uma pequena declaração aos funchalenses, a partir do facebook, seguindo-se, às 18h, a exibição de um espetáculo teatral, na página do Teatro Municipal Baltazar Dias, com o nome “Passa-porte” e autoria da Companhia Hotel Europa. Este espetáculo, que deveria subir ao palco do Baltazar Dias, foi adaptado às redes sociais e abordará o mito do “brando” colonialismo português e o seu fim. Além do ator André Amálio, estarão em cena a bailarina e coreógrafa checa Tereza Havlickova e a cantora moçambicana Selma Uamusse.