O Município do Funchal vai entregar, neste ano marcado por uma crise pandémica sem precedentes, Medalhas de Mérito Municipal, Grau Ouro, aos profissionais de saúde com serviços prestados à cidade e aos funcionários da Câmara Municipal que estiveram ao serviço durante o estado de emergência.

As medalhas foram aprovadas na Reunião de Vereação desta quinta-feira, “reconhecendo a Autarquia, com a sua mais alta condecoração, o mérito pessoal e a memorável resposta conjunta de mulheres e homens que contribuíram, de forma decisiva, com o seu serviço público, para que o Funchal tenha ultrapassado a nível local, com indiscutível sucesso, uma crise sanitária de alcance global”, destacou o Presidente, Miguel Silva Gouveia.

A Autarquia distingue, todos os anos, através da atribuição de Medalhas da Cidade, os cidadãos e instituições, nacionais ou estrangeiros, que desempenharam feitos ou serviços meritórios para com a cidade e os funchalenses. Miguel Silva Gouveia não tem dúvidas de que, este ano, as medalhas não poderiam ficar melhor entregues, “dignificando serviços essenciais que fizeram a diferença na vida dos funchalenses, em circunstâncias verdadeiramente excecionais.” As distinções serão entregues no próximo dia 21 de agosto, Dia da Cidade do Funchal, a fiéis depositários a nomear pelo Município.

“Por um lado, entendemos distinguir todos os profissionais de saúde, sem exceção, e todos os auxiliares e operacionais que, ao longo deste ano, garantiram a excelência do funcionamento do Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira e dos Hospitais e Clínicas Privadas, exercendo a sua atividade profissional na cidade com uma dedicação extrema e resultados determinantes, e prestando superiores serviços à Região na defesa da Saúde Pública de todos os cidadãos.”

Ao mesmo tempo, o Município enaltecerá, nesta ocasião solene, “todos os trabalhadores da Câmara Municipal do Funchal que, ao longo da pandemia de COVID-19, continuaram a exercer a sua atividade profissional com coragem e empenho dignos de louvor”, sublinha o Presidente nos votos em causa, considerando que “os funcionários da Câmara Municipal do Funchal foram, fruto do seu trabalho, a razão do irrepreensível funcionamento de todos os serviços essenciais desta Autarquia durante momentos tão difíceis como aqueles que vivemos.”

“Os valores de caráter destes profissionais deixaram marcas fortes na saúde e no bem-estar dos seus concidadãos, que o Funchal e os funchalenses jamais esquecerão”, conclui o Presidente.