Câmara Municipal do Funchal

A Câmara Municipal do Funchal dinamiza, até dia 31 de agosto, uma plataforma com o objetivo de valorizar e apelar ao consumo no comércio de proximidade. A iniciativa Stock Off Funchal pretende ajudar as 32 lojas aderentes a escoar os seus produtos e promover as boas oportunidades de compra juntos dos possíveis clientes.

A página de facebook “Stock Off Funchal” visa auxiliar os estabelecimentos comerciais do centro histórico da cidade a incrementar as vendas e informar os clientes das marcas e das promoções vigentes.  A campanha conta com 32 lojas segmentadas pelas categorias pronto-a-vestir, sapataria, ótica, estética, ourivesarias e relojoarias, arte e artesanato e comércio alimentar.

Os clientes podem consultar as marcas aderentes em www.facebook.com/stockoffunchal/e as lojas interessadas em aderir à campanha podem submeter a candidatura, através do preenchimento do formulário disponível em: https://forms.gle/TmVKNPfojwwgsBcQ9.

Enquadrada na ação municipal pós-confinamento, e inspirada no marketing digital, a plataforma procura ser um meio de divulgação dos espaços aderentes, dispostos a aderir a promoções que dinamizam o seu negócio, escoam os seus produtos e consequentemente promovem a renovação das suas coleções.

A Câmara Municipal do Funchal, através do Departamento de Economia e Cultura, dinamiza, a partir de hoje, uma plataforma com o objetivo de valorizar e apelar ao consumo no comércio de proximidade. A iniciativa Stock Off Funchal decorre até 31 de agosto e já conta com 30 lojas aderentes.

A página de facebook “Stock Off Funchal” pretende ajudar os estabelecimentos comerciais do centro histórico da cidade a incrementar as vendas e informar os clientes das marcas e das promoções vigentes. Enquadrada na ação municipal pós-confinamento, e inspirada no marketing digital, a plataforma procura ser um meio de divulgação dos espaços aderentes, dispostos a aderir a promoções que dinamizam o seu negócio, escoam os seus produtos e consequentemente promovem a renovação das suas coleções.

Os clientes podem consultar as marcar aderentes, segmentadas por categorias, em www.facebook.com/stockoffunchal. E as lojas interessadas em aderir à campanha podem submeter a candidatura, através do preenchimento do formulário disponível em: https://forms.gle/TmVKNPfojwwgsBcQ9.

A ação do lojista decorrerá no estrito cumprimento da lei no que concerne à prática de saldos e outras promoções. Para esclarecimento de dúvidas o Município disponibiliza ainda o e-mail stockoff@cm-funchal.pt ou o número do Balcão do Investidor 291 211 041.

A Câmara Municipal do Funchal vai reabrir ao público, esta quarta-feira, 8 de julho, o Museu Henrique e Francisco Franco e o Museu A Cidade do Açúcar. Estes dois espaços culturais estavam fisicamente encerrados desde o dia 16 de março devido à propagação do vírus da Covid-19, mas mantinham as suas atividades adaptadas às plataformas digitais.

O Museu Henrique e Francisco Franco e o Museu A Cidade do Açúcar regressam assim ao seu horário normal, das 9h00 às 17h30, depois de estarem garantidas todas as condições de segurança e higiene que foram emanadas pela Direcção-Geral de Saúde, e que constam no Plano Sanitário para a Prevenção de Riscos da Direção-Geral do Património Cultural.

Durante o período de confinamento, a Divisão de Cultura e Turismo da Autarquia reformulou toda a programação dos seus museus municipais para o formato online, e levou a cultura até casa dos funchalenses e madeirenses. Estas iniciativas envolveram 32 agentes culturais e atingiram cerca de 23 mil visualizações, demostrando que é possível eliminar barreiras entre a arte e o público.

O projeto “Música nos Museus” foi uma das iniciativas que tiveram transmissão online através dos canais de comunicação dos museus, com atuações de grupos como “Triola”, “Ensemble Orchestra-Quartet”, “Varejenta” e “ComCordas”. Foram realizadas também visitas virtuais, dramatizações, conferências, atividades educativas, oficinas de arte com Cristiana de Sousa e Fátima Spínola, e concertos encenados com a participação de Ricardo Brito e Filipa Carvalho.

A Câmara Municipal do Funchal está a desenvolver uma iniciativa destinada aos estabelecimentos comerciais do centro histórico da cidade para ajudar os comerciantes a escoar as suas coleções e a incrementar as vendas. O Stock Off Funchal enquadra-se na ação municipal pós-confinamento com o intuito de promover a dinamizar o comércio local.

O Presidente Miguel Silva Gouveia explica que “a ideia surgiu no seguimento das políticas que a Autarquia tem vindo a implementar de modo a auxiliar os estabelecimentos comerciais que viram as suas vendas suspensas devido ao encerramento forçado, consequência do confinamento social no contexto do surto pandémico. Esta iniciativa municipal, inspirada no marketing digital, materializa-se através da página de facebook Stock Off Funchal, e procura ser um meio de divulgação dos espaços aderentes, dispostos a aderir a promoções que vão dinamizar o seu negócio, escoar os seus produtos e consequentemente promover a renovação das suas coleções”.

As inscrições para as lojas que queiram aderir ao Stock Off Funchal podem ser submetidas, até dia 13 de julho, através do formulário abaixo.

“A todos os estabelecimentos comerciais aderentes será fornecido um autocolante promocional da iniciativa. Esta é mais uma ação do Município que, de forma gratuita, impulsiona o comércio local, que traz mais vida à cidade, sempre salvaguardando a segurança e reforçando a confiança dos que cá vivem e dos que aos poucos voltam a visitar o Funchal. O intuito é que as pessoas voltem a acreditar no comércio local, retomar a afluência de clientes na baixa da cidade e encorajar as pessoas a comprar o que é local dinamizando a economia e a sustentabilidade do Funchal”, reitera o Presidente.

O Stock Off Funchal realiza-se entre os dias 15 de julho e 31 de agosto. A ação do lojista terá de decorrer no estrito cumprimento da lei no que concerne à prática de saldos e outras promoções. Para esclarecimento de dúvidas o Município disponibiliza ainda o e-mail stockoff@cm-funchal.pt ou o número do Balcão do Investidor 291 211 041.

Consulte aqui:

– Perguntas frequentes 

– Formulário de adesão

– Área de abrangência da iniciativa

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal,  Miguel Silva Gouveia, anunciou hoje, após a primeira Reunião de Câmara presencial desde o início da pandemia, a aprovação do diferimento do pagamento das rendas dos espaços comerciais concessionados pelo Município do Funchal.

Miguel Silva Gouveia explicou que “foi aprovado o adiamento do pagamento das rendas pela exploração das concessões atribuídas pelo nosso município, isto significa que os comerciantes com atividades ligadas à economia e ao comércio, que tenham sido afetados pela pandemia, nomeadamente pela ausência de turistas aqui na nossa Região, e que cumpram os requisitos que estão moldados na Lei Nacional, particularmente a perda de receitas superiores a 30%, usufruem do adiamento desses pagamentos entre os meses de julho e dezembro de 2020”.

Os comerciantes funchalenses abrangidos por esta moratória ficam assim possibilitados de realizarem estes pagamentos até dezembro de 2022, “este é um processo que vai ao encontro das pretensões dos nossos comerciantes, e que está em linha com aquilo que já tínhamos aplicado no Funchal durante o estado de emergência, onde para além das rendas, isentamos também o pagamento das taxas de esplanadas e publicidade, num investimento na economia de cerca de 500 mil euros”.

O autarca lamentou ainda que o PSD tenha votado contra o diferimento das rendas, “é incompreensível que se pretenda que os comerciantes comecem já este mês de julho a pagar as rendas, depois do período conturbado que têm vindo a passar economicamente por causa da crise pandémica. Esta foi uma proposta aprovada pela Coligação Confiança e pelo CDS/PP, que demonstraram quem é que está, efetivamente, ao lado das preocupações e das soluções para com os nossos comerciantes”.

Na reunião foram ainda aprovados, por unanimidade, dois votos de louvor, um para Renata Tavares, referência do andebol regional e nacional, que durante dezoito anos representou o Madeira Andebol SAD, e também para a Associação Olho.te, por todo o trabalho social desenvolvido junto da população do Bairro da Nazaré durante o período de confinamento.

O Presidente lembrou ainda que teve início, no passado dia 29 de junho, as candidaturas para os manuais escolares que a Autarquia atribui aos alunos do 1º, 2º e 3º ciclos do ensino básico, um investimento municipal de cerca de 350 mil euros, “infelizmente quem tem esta responsabilidade na Região Autónoma da Madeira não a assume, e então, as câmaras municipais e bem, têm procurado soluções para ir ao encontro das espectativas dos nossos munícipes, garantindo aquilo que é um direito constitucional à educação livre e gratuita”, concluiu.

A Câmara Municipal do Funchal acaba de lançar a 9ª edição da newsletter destinada a todos os potenciais investidores no concelho. A “# FX Investe”, de periodicidade trimestral, dedica-se numa edição especial à Covid-19, às ferramentas, incentivos e apoios criados para ajudar a mitigar os problemas económicos decorrentes da pandemia.

Cada edição tem um destaque próprio, e aborda dicas ao investimento, curiosidades, estatísticas e perguntas frequentes. Dada a conjuntura atual, ao caráter sistémico e a imprevisibilidade do fenómeno, esta 9ª newsletter dedica-se ao impacto que a pandemia do Covid-19 trouxe à economia local e global oferecendo informação tratada e atualizada sobre as diferentes medidas, apoios e outros instrumentos para auxiliar comerciantes e investidores na retoma e reabertura dos estabelecimentos de comércio e serviços.

A edição especial destaca as dicas e medidas de apoio de modo a estimular a modernização e adaptação à nova realidade económica e  responder aos desafios impostos pela Covid-19. A newsletter é enviada a toda a lista de contactos do Balcão do Investidor, que inclui possíveis investidores, comerciantes, agentes culturais e hotelaria, e está disponível no site oficial da CMF e em https://balcaoinvestidor.wixsite.com/fxinveste09.

A Câmara Municipal do Funchal, através do Balcão do Investidor, associa-se ao Turismo de Portugal, e vai apoiar a divulgação do selo “Clean&Safe”, uma iniciativa que visa distinguir as atividades turísticas que assegurem nos seus estabelecimentos, o cumprimento de todas as recomendações da Direção-Geral de Saúde.

O Balcão do Investidor vai assim, a partir da próxima segunda-feira, promover o registo do selo “Clean&Safe”, que pode ser realizado na plataforma www.eportugal.gov.pt, e disponibiliza-se para prestar os esclarecimentos necessários a todos os proprietários de estabelecimentos do setor do Turismo, nomeadamente agências de viagens, empresas de animação turística, empreendimentos turísticos, restauração e bebidas, alojamento local, e rent-a-car.

O Funchal, enquanto Cidade de Confiança, procura, com esta medida, sensibilizar as empresas e os profissionais, para a importância da adoção das medidas preventivas para evitar a propagação, e a contaminação dos espaços comerciais com o novo coronavírus. Procurando enaltecer, igualmente, o destaque dos dísticos na atração e confiança dos clientes a estes espaços.

O atendimento dos munícipes será feito no período das 9h00 às 12h00, mediante marcação prévia pelos canais do Balcão do Investidor, através do número 291 211 041, ou do e-mail balcao.investidor@cm-funchal.pt.

Esta medida é dinamizada pelo Turismo de Portugal, pretende promover Portugal como destino seguro, e envolve, entre outros, a Agência para a Modernização Administrativa (AMA), a Direção Geral das Atividades Económicas (DGAE), o Instituto de Mobilidade e Transportes (IMT), a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), a Confederação do Turismo de Portugal (CTP), e diversas Associações do Setor Turístico.

 

A Câmara Municipal do Funchal, através do Departamento de Educação e Qualidade de Vida, estabeleceu, durante o processo de confinamento provocado pela pandemia de COVID-19, uma linha telefónica de apoio à população mais idosa, com o intuito de reforçar o contacto com os munícipes que ficaram impossibilitados de frequentar os diversos espaços municipais. Esta iniciativa continua a promover um contacto regular com cerca de 3 mil utentes, fortalecendo o acompanhamento, e reencaminhando diversos pedidos de ajuda para outros serviços camarários e serviços que trabalham em rede com o Município.

Madalena Nunes, Vereadora com o pelouro do Desenvolvimento Social na Autarquia, explica que “o encerramento dos nossos centros de apoio e convívio, devido ao vírus, levou os nossos utentes a terem de ficar confinados nas suas casas, num processo sem preparação prévia e que nos preocupou imenso, pois estas pessoas, devido ao fator idade, apresentam diversos riscos. A nossa linha de apoio nasceu precisamente nesse sentido, porque queríamos evitar que estes idosos fossem assolados pela solidão e pelo medo da doença, e que perdessem as suas rotinas e interações, o que pode ter um efeito extremamente nocivo na sua qualidade de vida.”

O trabalho diário de monitorização desta iniciativa tem sido realizado pelos serviços municipais, nas áreas do serviço social, psicologia e sociologia, garantindo um acompanhamento personalizado aos utentes dos Ginásios da Barreirinha, Santo António, São Martinho, Centro Comunitário do Funchal e Universidade Sénior, e ainda dos programas do Fundo de Investimento Social da Autarquia, com o intuito de perceber como estão a vivenciar esta situação de crise pandémica, e ajudando a resolver problemas concretos como o pagamento da água, da luz, a marcação de consultas no Centro de Saúde, e outros pedidos de ajuda, ao nível da alimentação e da compra de medicamentos.

“Desde março, a Câmara Municipal do Funchal não parou com a sua ação em diferentes áreas, tendo lançado durante a quarentena inúmeras iniciativas no âmbito da salvaguarda económica, ambiental, cultural e social do concelho”, reforça Madalena Nunes, destacando, por fim, que “este foi, e continua a ser, um trabalho determinante com vista à proteção da nossa população mais vulnerável e que muito nos orgulha, numa prova evidente de que, no Funchal, a proximidade é mesmo um dos pilares de desenvolvimento da cidade.”

A Câmara Municipal do Funchal aprovou hoje, com os votos favoráveis da Coligação Confiança, a abstenção do CDS e os votos contra do PSD, a sua Prestação de Contas relativa ao ano de 2019, uma vez mais com valores de excelência, conforme assumiu o Presidente Miguel Silva Gouveia.

O autarca relembrou, na ocasião, que “quando o atual Executivo assumiu funções, a dívida da Autarquia era superior a 101 milhões de euros; no final de 2019, esta cifrou-se em cerca de 38 milhões, o que ilustra bem o longo percurso de rigor e seriedade na gestão municipal que concretizámos nos últimos anos. Hoje, a CMF é uma entidade pública com total credibilidade financeira, e isso é indissociável do facto de termos abatido quase dois terços do total da dívida que herdámos em 2013.”

Este cenário permitiu, ao mesmo tempo, um regresso às obras públicas como o Funchal há muito não via, desde que o Executivo anterior deixou a cidade na bancarrota e entregue a variados resgates financeiros. “A Prestação de Contas de 2019 é, por isso, igualmente marcada pelos 29 milhões de euros de obras que temos no terreno, dos quais 15 milhões transitam em saldo de gerência para este ano, ou seja, este é um valor afeto às obras que estão a decorrer e que dá a garantia a todos os nossos parceiros de que serão pagos a tempo e horas, ao contrário do que foi prática comum no Funchal durante anos.”

O Presidente enalteceu, a este respeito, “o facto de a Autarquia ser reconhecida, mais do que nunca, como um parceiro de confiança dos empresários do concelho: neste momento, o nosso prazo médio de pagamento a fornecedores situa-se nos 14 dias, algo que fizemos questão de reafirmar ao longo dos últimos meses, quando a crise de saúde pública se abateu sobre o comércio e serviços do Funchal, também para que os empresários pudessem pagar os salários aos seus colaboradores. Quando o atual Executivo entrou em funções, os prazos de pagamento a fornecedores estavam em 308 dias.”

A CMF fechou o ano de 2019 com resultados líquidos positivos e apresenta, neste momento, uma capacidade de endividamento de cerca de 70 milhões de euros, que o Presidente não tem dúvidas de que será “decisiva para responder à dureza dos muitos desafios que se avizinham. 2020 está a ser um ano difícil para todos nós e isso vai-se igualmente refletir nas contas da Autarquia, porque a crise de saúde pública fez aumentar os apoios sociais enquanto perdemos receitas drasticamente, e porque tivemos de encarar estas vicissitudes com um Orçamento Municipal chumbado pela completa irresponsabilidade do PSD e do CDS.”

“Aquilo que garantimos aos funchalenses é que podem continuar a contar com este Executivo para sair em seu auxílio nos momentos de dificuldade, para amparar a crise e para defender uma cidade mais justa, equitativa e inclusiva, mais próxima do que nunca dos cidadãos, com sustentabilidade financeira e investimentos estruturantes, para que esta seja uma cidade cada vez mais amiga do ambiente, mais reabilitada e mais inteligente. Mesmo em tempos de renovadas dificuldades, a Autarquia continuará a ser administrada de forma exemplar, mantendo o foco na melhoria da qualidade de vida dos funchalenses e procurando sempre os recursos necessários para promover o bem comum.”

O Município do Funchal vai entregar, neste ano marcado por uma crise pandémica sem precedentes, Medalhas de Mérito Municipal, Grau Ouro, aos profissionais de saúde com serviços prestados à cidade e aos funcionários da Câmara Municipal que estiveram ao serviço durante o estado de emergência.

As medalhas foram aprovadas na Reunião de Vereação desta quinta-feira, “reconhecendo a Autarquia, com a sua mais alta condecoração, o mérito pessoal e a memorável resposta conjunta de mulheres e homens que contribuíram, de forma decisiva, com o seu serviço público, para que o Funchal tenha ultrapassado a nível local, com indiscutível sucesso, uma crise sanitária de alcance global”, destacou o Presidente, Miguel Silva Gouveia.

A Autarquia distingue, todos os anos, através da atribuição de Medalhas da Cidade, os cidadãos e instituições, nacionais ou estrangeiros, que desempenharam feitos ou serviços meritórios para com a cidade e os funchalenses. Miguel Silva Gouveia não tem dúvidas de que, este ano, as medalhas não poderiam ficar melhor entregues, “dignificando serviços essenciais que fizeram a diferença na vida dos funchalenses, em circunstâncias verdadeiramente excecionais.” As distinções serão entregues no próximo dia 21 de agosto, Dia da Cidade do Funchal, a fiéis depositários a nomear pelo Município.

“Por um lado, entendemos distinguir todos os profissionais de saúde, sem exceção, e todos os auxiliares e operacionais que, ao longo deste ano, garantiram a excelência do funcionamento do Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira e dos Hospitais e Clínicas Privadas, exercendo a sua atividade profissional na cidade com uma dedicação extrema e resultados determinantes, e prestando superiores serviços à Região na defesa da Saúde Pública de todos os cidadãos.”

Ao mesmo tempo, o Município enaltecerá, nesta ocasião solene, “todos os trabalhadores da Câmara Municipal do Funchal que, ao longo da pandemia de COVID-19, continuaram a exercer a sua atividade profissional com coragem e empenho dignos de louvor”, sublinha o Presidente nos votos em causa, considerando que “os funcionários da Câmara Municipal do Funchal foram, fruto do seu trabalho, a razão do irrepreensível funcionamento de todos os serviços essenciais desta Autarquia durante momentos tão difíceis como aqueles que vivemos.”

“Os valores de caráter destes profissionais deixaram marcas fortes na saúde e no bem-estar dos seus concidadãos, que o Funchal e os funchalenses jamais esquecerão”, conclui o Presidente.