A Câmara Municipal do Funchal, através do Departamento de Economia e Cultura, dinamiza, a partir de hoje, uma plataforma com o objetivo de valorizar e apelar ao consumo no comércio de proximidade. A iniciativa Stock Off Funchal decorre até 31 de agosto e já conta com 30 lojas aderentes.

A página de facebook “Stock Off Funchal” pretende ajudar os estabelecimentos comerciais do centro histórico da cidade a incrementar as vendas e informar os clientes das marcas e das promoções vigentes. Enquadrada na ação municipal pós-confinamento, e inspirada no marketing digital, a plataforma procura ser um meio de divulgação dos espaços aderentes, dispostos a aderir a promoções que dinamizam o seu negócio, escoam os seus produtos e consequentemente promovem a renovação das suas coleções.

Os clientes podem consultar as marcar aderentes, segmentadas por categorias, em www.facebook.com/stockoffunchal. E as lojas interessadas em aderir à campanha podem submeter a candidatura, através do preenchimento do formulário disponível em: https://forms.gle/TmVKNPfojwwgsBcQ9.

A ação do lojista decorrerá no estrito cumprimento da lei no que concerne à prática de saldos e outras promoções. Para esclarecimento de dúvidas o Município disponibiliza ainda o e-mail stockoff@cm-funchal.pt ou o número do Balcão do Investidor 291 211 041.

A Câmara Municipal do Funchal vai reabrir ao público, esta quarta-feira, 8 de julho, o Museu Henrique e Francisco Franco e o Museu A Cidade do Açúcar. Estes dois espaços culturais estavam fisicamente encerrados desde o dia 16 de março devido à propagação do vírus da Covid-19, mas mantinham as suas atividades adaptadas às plataformas digitais.

O Museu Henrique e Francisco Franco e o Museu A Cidade do Açúcar regressam assim ao seu horário normal, das 9h00 às 17h30, depois de estarem garantidas todas as condições de segurança e higiene que foram emanadas pela Direcção-Geral de Saúde, e que constam no Plano Sanitário para a Prevenção de Riscos da Direção-Geral do Património Cultural.

Durante o período de confinamento, a Divisão de Cultura e Turismo da Autarquia reformulou toda a programação dos seus museus municipais para o formato online, e levou a cultura até casa dos funchalenses e madeirenses. Estas iniciativas envolveram 32 agentes culturais e atingiram cerca de 23 mil visualizações, demostrando que é possível eliminar barreiras entre a arte e o público.

O projeto “Música nos Museus” foi uma das iniciativas que tiveram transmissão online através dos canais de comunicação dos museus, com atuações de grupos como “Triola”, “Ensemble Orchestra-Quartet”, “Varejenta” e “ComCordas”. Foram realizadas também visitas virtuais, dramatizações, conferências, atividades educativas, oficinas de arte com Cristiana de Sousa e Fátima Spínola, e concertos encenados com a participação de Ricardo Brito e Filipa Carvalho.

A Câmara Municipal do Funchal está a desenvolver uma iniciativa destinada aos estabelecimentos comerciais do centro histórico da cidade para ajudar os comerciantes a escoar as suas coleções e a incrementar as vendas. O Stock Off Funchal enquadra-se na ação municipal pós-confinamento com o intuito de promover a dinamizar o comércio local.

O Presidente Miguel Silva Gouveia explica que “a ideia surgiu no seguimento das políticas que a Autarquia tem vindo a implementar de modo a auxiliar os estabelecimentos comerciais que viram as suas vendas suspensas devido ao encerramento forçado, consequência do confinamento social no contexto do surto pandémico. Esta iniciativa municipal, inspirada no marketing digital, materializa-se através da página de facebook Stock Off Funchal, e procura ser um meio de divulgação dos espaços aderentes, dispostos a aderir a promoções que vão dinamizar o seu negócio, escoar os seus produtos e consequentemente promover a renovação das suas coleções”.

As inscrições para as lojas que queiram aderir ao Stock Off Funchal podem ser submetidas, até dia 13 de julho, através do formulário abaixo.

“A todos os estabelecimentos comerciais aderentes será fornecido um autocolante promocional da iniciativa. Esta é mais uma ação do Município que, de forma gratuita, impulsiona o comércio local, que traz mais vida à cidade, sempre salvaguardando a segurança e reforçando a confiança dos que cá vivem e dos que aos poucos voltam a visitar o Funchal. O intuito é que as pessoas voltem a acreditar no comércio local, retomar a afluência de clientes na baixa da cidade e encorajar as pessoas a comprar o que é local dinamizando a economia e a sustentabilidade do Funchal”, reitera o Presidente.

O Stock Off Funchal realiza-se entre os dias 15 de julho e 31 de agosto. A ação do lojista terá de decorrer no estrito cumprimento da lei no que concerne à prática de saldos e outras promoções. Para esclarecimento de dúvidas o Município disponibiliza ainda o e-mail stockoff@cm-funchal.pt ou o número do Balcão do Investidor 291 211 041.

Consulte aqui:

– Perguntas frequentes 

– Formulário de adesão

– Área de abrangência da iniciativa

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal,  Miguel Silva Gouveia, anunciou hoje, após a primeira Reunião de Câmara presencial desde o início da pandemia, a aprovação do diferimento do pagamento das rendas dos espaços comerciais concessionados pelo Município do Funchal.

Miguel Silva Gouveia explicou que “foi aprovado o adiamento do pagamento das rendas pela exploração das concessões atribuídas pelo nosso município, isto significa que os comerciantes com atividades ligadas à economia e ao comércio, que tenham sido afetados pela pandemia, nomeadamente pela ausência de turistas aqui na nossa Região, e que cumpram os requisitos que estão moldados na Lei Nacional, particularmente a perda de receitas superiores a 30%, usufruem do adiamento desses pagamentos entre os meses de julho e dezembro de 2020”.

Os comerciantes funchalenses abrangidos por esta moratória ficam assim possibilitados de realizarem estes pagamentos até dezembro de 2022, “este é um processo que vai ao encontro das pretensões dos nossos comerciantes, e que está em linha com aquilo que já tínhamos aplicado no Funchal durante o estado de emergência, onde para além das rendas, isentamos também o pagamento das taxas de esplanadas e publicidade, num investimento na economia de cerca de 500 mil euros”.

O autarca lamentou ainda que o PSD tenha votado contra o diferimento das rendas, “é incompreensível que se pretenda que os comerciantes comecem já este mês de julho a pagar as rendas, depois do período conturbado que têm vindo a passar economicamente por causa da crise pandémica. Esta foi uma proposta aprovada pela Coligação Confiança e pelo CDS/PP, que demonstraram quem é que está, efetivamente, ao lado das preocupações e das soluções para com os nossos comerciantes”.

Na reunião foram ainda aprovados, por unanimidade, dois votos de louvor, um para Renata Tavares, referência do andebol regional e nacional, que durante dezoito anos representou o Madeira Andebol SAD, e também para a Associação Olho.te, por todo o trabalho social desenvolvido junto da população do Bairro da Nazaré durante o período de confinamento.

O Presidente lembrou ainda que teve início, no passado dia 29 de junho, as candidaturas para os manuais escolares que a Autarquia atribui aos alunos do 1º, 2º e 3º ciclos do ensino básico, um investimento municipal de cerca de 350 mil euros, “infelizmente quem tem esta responsabilidade na Região Autónoma da Madeira não a assume, e então, as câmaras municipais e bem, têm procurado soluções para ir ao encontro das espectativas dos nossos munícipes, garantindo aquilo que é um direito constitucional à educação livre e gratuita”, concluiu.