A Câmara Municipal do Funchal lançou, na passada sexta-feira, a iniciativa “Funchal, Cabaz Vital”, que se destina às famílias residentes no concelho que, fruto das dificuldades geradas pela COVID-19, viram reduzidos os seus rendimentos mensais, seja por situação de desemprego ou por condição de layoff de pelo menos um dos seus membros. Nos primeiros cinco dias de implementação, já foram entregues 238 cabazes.

O Presidente Miguel Silva Gouveia manifesta-se sensibilizado “pela resposta, muita vezes emotiva, que as equipas camarárias têm recebido no terreno. Esta é uma prova que, de facto, muitas famílias já estão neste momento a passar dificuldades, pelo que a missão da Câmara é mesmo esta,  ou seja, sair em auxílio das necessidades básicas dos funchalenses e honrar a matriz social que tem pautado até hoje a nossa governação. Os funchalenses podem contar connosco, agora e no futuro, para estar a seu lado e à altura desta situação.”

“Ao longo dos últimos dois meses, temos envolvido os comerciantes dos nossos mercados municipais na resposta a esta crise, chegando num primeiro momento a pessoas idosas e com deficiência, depois a residentes nas zonas altas e agora a famílias afetadas pela perda de rendimentos. Os apoios de cariz social são a prioridade da CMF para responder à crise mas, ao mesmo tempo, ajudamos os nossos comerciantes, agricultores e produtores a escoar a sua produção, protegendo a economia local”, reforça o Presidente.

Os cabazes são gratuitos e fornecidos a pedido, através do e-mail cabaz@cm-funchal.pt ou do telefone 291 214 083, de 2.ª feira a sábado, entre as 9h e as 12h, sendo que, no ato do pedido, os beneficiários têm de indicar o motivo da perda de rendimento. A entrega é efetuada pelo Município, por ordem de chegada dos pedidos, no período compreendido entre as 12h e as 17h, sendo o transporte igualmente gratuito. A Autarquia entregará, por mês, um cabaz aos agregados familiares até 3 elementos e dois cabazes aos agregados familiares com mais de 3 elementos.

Os cabazes são compostos por fruta e legumes da época, ervas aromáticas e ovos, todos de produção regional e assegurados pelos comerciantes de hortofrutícolas do Mercado da Penteada e do Mercado dos Lavradores, de forma rotativa.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, e o Vereador Rúben Abreu, que tem o pelouro dos Recursos Humanos, reuniram, nos Paços do Concelho, com Ricardo Freitas e Leonilde Cassiano, representantes da União Geral dos Trabalhadores – UGT, com vista a abordar as dificuldades que a atual crise pandémica está a criar ao mercado de trabalho.

Miguel Silva Gouveia explica que “mantendo a nossa política de proximidade e de auscultação de todos os parceiros sociais, reunimos desta vez com a UGT, no sentido de perceber, desde logo, que estratégias sindicais têm sido postas em prática, no sentido de apoiar os trabalhadores perante este cenário de dificuldade. Ao mesmo tempo, procurámos aferir as melhores formas de a Autarquia prestar apoio social aos trabalhadores que estão a ser afetados pela crise, sendo que algumas das iniciativas que já temos em prática neste momento estão a ser eficazes e vão ao encontro disso mesmo.”

“Apresentámos também a esta união sindical as medidas que a Câmara Municipal do Funchal tem implementado no sentido de proteger os seus colaboradores, reajustando horários, distribuindo equipamentos de proteção individual e coletiva, e garantido as demais condições de trabalho determinantes para o desempenho das suas funções, afirmando que os serviços essenciais ao funcionamento da nossa cidade continuam a ser desempenhados com todas as condições de segurança necessárias, o que é fundamental para todos.”

 

“Funchal Cultura 2030” é o projeto da Câmara Municipal do Funchal com vista à criação de um plano estratégico para a cultura do concelho a pensar na próxima década. A primeira etapa do projeto irá decorrer até dezembro de 2020 e centrar-se no mapeamento cultural da cidade, com a auscultação dos vários agentes culturais e uma reflexão partilhada com decisores políticos, técnicos municipais e peritos, com vista à apresentação dos principais eixos estruturais a conter no plano estratégico.

Este projeto surge na sequência do trabalho de referência realizado ao nível da Cultura no Funchal nos últimos anos e concretiza uma reivindicação antiga dos agentes culturais, replicando o que está a ser desenhado por outras cidades a nível nacional, como Aveiro, Braga, Faro, Lisboa, Porto e Coimbra.

O Município do Funchal tem assumido a Cultura como um eixo central das políticas públicas, sendo que pretende com este plano desenvolver e implementar uma estratégia cultural abrangente e clara; melhorar os mecanismos de comunicação e divulgação do setor; estimular o trabalho em rede e responder aos novos desafios que se avizinham para o setor.

Até agosto, serão assim realizadas 6 sessões em formato web e em direto, através das plataformas digitais, e serão convidados 30 agentes culturais das áreas do teatro, música, museologia, dança, literatura e artes visuais. A primeira sessão, que terá como tema os museus e as galerias, irá acontecer na próxima sexta-feira, pelas 18 horas, através da plataforma digital do Museu Henrique e Francisco Franco, com a participação de Diogo Costa Goes, Raquel Fraga, Ana Nóbrega e Esmeralda Lourenço.

Todo o projeto poderá ser acompanhado no site do Teatro Municipal Baltazar Dias, com a disponibilização das datas e dos convidados de cada sessão, assim como uma síntese dos principais temas abordados em cada uma delas.

No princípio de 2021, será apresentado, por sua vez, o documento que orientará daí em diante este processo dinâmico, que se pretende venha a ser continuamente participado e conduza à implementação de medidas inovadoras, com monitorização e avaliação dos respetivos impactos.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, e o Vereador João Pedro Vieira, que tutela os Mercados Municipais, reuniram ontem com os comerciantes do Mercado dos Lavradores, com vista a auscultar as suas necessidades e abordar em conjunto as soluções que a Autarquia visa implementar, no sentido de responder aos desafios que se avizinham.

Miguel Silva Gouveia explica que esta foi “uma reunião importante para falarmos do presente e, especialmente, do futuro. Ao longo dos últimos dois meses, afirmámos sempre a preocupação de salvaguardar os interesses dos nossos comerciantes e o nosso Mercado manteve-se aberto, acabando por assumir um papel fulcral em vários dos nossos programas de apoio social, como o Mercado em Casa ou o Funchal Cabaz Vital.”

“O que fiz questão de transmitir neste encontro é que, sejam quais forem os desafios que temos pela frente, continuaremos a trabalhar com empenho, de modo a encontrar as melhores soluções para os nossos comerciantes exercerem a sua atividade”, acrescenta o Presidente, relembrando que, desde 2015, já foram investidos 400 mil euros nos Mercados Municipais, em intervenções como a recuperação de fachadas do Mercado dos Lavradores, as novas bancas para as floristas ou ainda a reabilitação de infraestruturas no Mercado da Penteada.

Miguel Silva Gouveia reafirma que “vamos continuar a investir este ano na preservação e requalificação deste património classificado que é o Mercado dos Lavradores, de maneira a que tenhamos as melhores condições possíveis para quem compra e para quem vende, pelo que avança este Verão um investimento de 300 mil euros, cofinanciado pelo Turismo de Portugal, em redes de águas, esgotos, eletricidade, frio, ventilação e bancas comerciais. O projeto de execução para poder levar a obra a concurso público foi assinado esta semana.”

Foram, por fim, entregues ontem a todos os comerciantes do Mercado quatro viseiras por cada estabelecimento existente, conforme a Autarquia já tinha anunciado esta semana, sendo que a entrega de viseiras prosseguirá esta semana junto do restante comércio local.

A Câmara Municipal do Funchal reabre, esta quinta-feira, dia 14 de maio, a sua tesouraria, sita à Loja do Munícipe, nos Paços do Concelho, de modo a que os munícipes possam voltar a efetuar presencialmente os pagamentos relativos a contas da água e taxas de publicidade.

A tesouraria vai funcionar entre as 9h e as 13h e entre as 14h e as 18h, sendo higienizada todos os dias antes de abrir e ainda durante a hora de almoço. A reabertura deste serviço respeitará apertadas regras de segurança, nomeadamente com controlo de entradas, utilização obrigatória de máscaras, distanciamento social e limite de duas pessoas dentro das instalações ao mesmo tempo, que estarão devidamente sinalizadas, contando com a presença de um segurança profissional.

Apesar de o Contact Center da CMF ter funcionado ininterruptamente desde a suspensão dos atendimentos presenciais, e dos pagamentos terem estado sempre ativos, via multibanco, NIB ou payshop, as pessoas mais idosas, que estão habituadas a proceder aos seus pagamentos presencialmente, foram transmitindo aos serviços a dificuldade em fazê-lo de outra forma, pelo que a Autarquia opta esta semana pela reabertura da sua tesouraria, de modo a responder a esses pedidos.

A Câmara Municipal do Funchal, através do Balcão do Investidor, estabeleceu uma parceria com a consultora nacional Deloitte, com vista a reforçar a sua ação de apoio ao tecido empresarial do concelho, realizando, para o efeito, seminários online ao longo do mês de maio, os chamados webinars, para todos os empresários interessados.

O Presidente Miguel Silva Gouveia explica que “a excecionalidade do momento que vivemos, decorrente dos efeitos da pandemia COVID19, obriga a que a Autarquia esteja muito presente no desenvolvimento de medidas dirigidas aos setores económicos que apresentam maior fragilidade, como é o caso do comércio, da restauração e do turismo, apoiando ativamente os empresários durante esta crise, com o propósito de dinamizar a economia.”

O primeiro webinar decorre já esta sexta-feira, dia 15 de maio, pelas 11h, e tem como título “A Crise como Oportunidade de Mudança: Dicas e Instrumentos de Apoio”. Todos os interessados devem proceder à sua inscrição no seguinte formulário online: http://tiny.cc/449xoz

“Com a retoma das atividades económicas, é fundamental que a atuação dos empresários seja consciente e, acima de tudo, informada, pelo que o conhecimento e experiência destes consultores nacionais poderão representar uma importante mais-valia na sua tomada de decisões. A CMF programou, desta forma, quatro sessões online durante este mês, onde serão mostradas técnicas e dicas para lidar com a adversidade, e apresentadas tendências e exemplos de boas práticas que poderão inspirar e orientar os empresários locais.”

O segundo webinar decorre no próximo dia 20 maio, sob o tema “Comércio Local – Desafios Impostos pela COVID19”. No dia 22 maio, será apresentado o seminário “Restauração – Desafios Impostos pela COVID19” e, por fim, no dia 27 maio, será a vez de “Turismo – Desafios Impostos pela COVID19”. Após cada webinar, os pedidos de esclarecimento serão encaminhados pelo Balcão do Investidor para a Deloitte, sendo respondidos por ordem de chegada.

Todas as sessões terão início às 11h e duração estimada de uma hora. O formato será webinar, através da plataforma Zoom, sujeita a inscrição prévia nos formulários disponíveis nos canais da CMF, nomeadamente em https://covid19.cm-funchal.pt/covid-19-empresas/, onde se encontram, de resto, todas as iniciativas municipais de apoio às empresas. Após a inscrição, será enviado o link de acesso ao webinar. As dúvidas relativas a esta iniciativa deverão ser encaminhadas para balcao.investidor@cm-funchal.pt.

 

A Câmara Municipal do Funchal desenvolveu e lançou, logo no final do mês de março, um microsite no domínio municipal dedicado à COVID-19. Em mês e meio de atividade, esta página agregadora de todos os conteúdos respeitantes ao tema da pandemia no concelho e, em particular, no universo camarário, já recebeu cerca de 5 mil visitas.

O microsite apresenta uma interface bastante acessível, no sentido de ser o mais prático possível, e, de acordo com o Presidente Miguel Silva Gouveia, tem sido “uma ferramenta valiosa para que os funchalenses possam manter-se a par de informações oficiais e fidedignas, que são ainda mais cruciais no tempo em que vivemos.”

O autarca explica que “esta foi uma forma da CMF agregar toda a informação referente à crise pandémica num único local, promovendo o esclarecimento da população à medida que a situação foi evoluindo. Com cerca de um milhar de visitantes por semana, acreditamos que esse objetivo está a ser cumprido.”

“Além de providenciar conteúdos rigorosos e confiáveis, procurámos que a plataforma fosse também um espaço onde pudéssemos criar uma ligação mais segmentada às empresas do concelho, às famílias e às atividades de lazer, e a página tem crescido com sucesso nesse sentido, o que também nos apraz.”

Através do endereço https://covid19.cm-funchal.pt todos os cidadãos podem, assim, consultar notícias, informações úteis e recomendações, bem como aceder a uma larga panóplia de conteúdos desenvolvidos pela Autarquia para fazer face à atual crise de saúde pública.

A Câmara Municipal do Funchal vai começar a entregar esta semana viseiras aos comerciantes funchalenses que se encontrem ao serviço. Para o efeito, todos os comerciantes interessados devem solicitá-lo, através do seguinte formulário: http://tiny.cc/j70voz

O Presidente Miguel Silva Gouveia explica que “o fornecimento de viseiras é mais um importante contributo do Município, no sentido de ajudar os comerciantes a cumprirem as determinações da Autoridade de Saúde, que definiu um conjunto de regras e procedimentos para que estes se encontrem ao serviço, em especial a aquisição de equipamentos de proteção individual, o que nesta altura representa um sobre esforço na difícil situação económica que os empresários estão a atravessar.”

Miguel Silva Gouveia acrescenta que “desde o início da pandemia, o Município tem criado iniciativas quase todas as semanas, no sentido de apoiar o tecido económico local.” Entre estas, contam-se o lançamento da plataforma “Comércio ao Serviço”, a adesão à plataforma nacional “Preserve”, a elaboração de uma minuta de um Plano de Contingência para o setor empresarial do concelho, a Campanha “Comércio do Funchal, Viva!”, e ainda os programas “Mercado em Casa” e “Venda Itinerante”.

Na semana passada, o Município avançou, por sua vez, com o “Funchal Cabaz Vital”, entregando produtos frescos às famílias do concelho afetadas pelo desemprego e pelo layoff, e ajudando os comerciantes dos mercados municipais a escoar as suas frutas e legumes, e com o site “Made in Funchal”, uma plataforma que divulga as marcas dos pequenos empreendedores funchalenses no sentido de estimular as vendas e a sua produção própria.

A Câmara Municipal do Funchal acaba de lançar o site Made in Funchal, uma plataforma que vai divulgar empreendedores do concelho de variadas áreas, no sentido de apoiar a economia local perante a atual conjuntura socioeconómica.

O site já conta com 36 marcas inscritas e todos os interessados podem preencher o respetivo formulário de adesão, disponível em https://madeinfunchal.wixsite.com/madeinfunchal, procedendo depois ao envio do seu logotipo, para o endereço madeinfunchal@cm-funchal.pt.

Miguel Silva Gouveia explica que este novo site municipal, em jeito de catálogo, “possibilita que o Município divulgue, de forma sistematizada, as marcas dos pequenos empreendedores locais, estimulando assim a venda dos seus produtos e serviços e promovendo parcerias potenciadoras dos negócios em causa, com as quais todos temos a ganhar.”

“A criação desta plataforma é mais uma forma de apoiar os comerciantes face às novas dificuldades que estamos a viver, também devido à suspensão das habituais feiras semanais no Mercado dos Lavradores, e noutros espaços da cidade, onde pequenos empreendedores locais promoviam o seu negócio. Assim sendo, entendemos potenciar uma vez mais as plataformas digitais e as suas mais-valias, que ganharam ainda maior importância nesta fase, quer para divulgação, quer para vendas online, devido ao confinamento social. Disponibilizamos na página todos os canais das marcas, desde logo as respetivas redes sociais, de modo a que os clientes possam entrar de imediato em contacto com os comerciantes”, explica o Presidente, os quais estão divididos pelas categorias alimentação, artigos de bebés, bijuteria, comunicação e artes, lar e decoração, moda e acessórios, saúde e bem-estar e tecnologia.

Miguel Silva Gouveia acrescenta que “desde o início da pandemia, o Município tem criado iniciativas quase todas as semanas, no sentido de apoiar o tecido económico local.” Entre estas contam-se o lançamento da plataforma “Comércio ao Serviço”, a adesão à plataforma nacional “Preserve”, a elaboração de uma minuta de um Plano de Contingência para o setor empresarial do concelho, a Campanha “Comércio do Funchal, Viva!”, e ainda os programas “Mercado em Casa”, “Venda Itinerante” e o “Funchal Cabaz Vital”, que também é lançado esta sexta-feira.

“O site “Made in Funchal” é mais uma afirmação desta estratégia integrada, com objetivos bastante concretos, promovendo o que de bom se faz na nossa cidade, criando uma rede de parcerias e priorizando o consumo dos produtos locais.”

A Associação Portuguesa de Seguradores criou um Fundo Solidário no valor de 1,5 milhões de euros que se destina a financiar a atribuição de um apoio monetário aos familiares diretos de um conjunto de profissionais que tenham contraído, no exercício da sua profissão ou de missão voluntária, em Portugal, a doença Covid-19, e em consequência desta, tenham falecido ou venham a falecer.

Entre os profissionais e voluntários abrangidos pelo Fundo encontram-se profissionais da área da saúde, das forças armadas e serviços de segurança e socorro, de gestão e manutenção de infraestruturas críticas de saúde, profissionais e voluntários formalmente integrados em atividades de apoio a lares de idosos e em organizações de apoio a pessoas com deficiência, assim como os profissionais dos serviços funerários.

As condições de acesso e as regras essenciais de funcionamento do Fundo Solidário encontram-se disponíveis na página especial Covid-19 dedicada ao Fundo Solidário do setor segurador, no site da APS em www.apseguradores.pt.